Weby shortcut
topo.jpg

Projetos

Atualizado em 19/11/14 09:24.

Projetos de pesquisa do NUPESE:

      2014

Preparando para o mundo do trabalho: violência subliminar, ideologia e educação.

Descrição: O capital tem submetido o trabalho a uma nova organização. Hoje, mais do que em outras épocas, a relação entre capital e trabalho tem como base a exploração associada à exclusão, não somente pelo desemprego, como ocorria tradicionalmente, mas, o reordenamento vem criando novas formas de exploração. Uma delas pode ser denominada "trabalho atípico"– precário, flexível, desregulamentado – sendo o estágio remunerado um deles. Esta modalidade de trabalho conta com o apoio da comunidade em geral, com destaque para as Instituições de Ensino Superior (IES), por intermédios dos Estágios Remunerados Não-obrigatórios, bem como, as entidades que servem de recrutamento de mão-de-obra para o capital. Essa modalidade de trabalho atípico revela em seu âmago a violência subliminar, a qual pretende-se investigar, por meio de análises fundamentadas na Teoria Marxiana, a fim de explicitar os mecanismos ideológicos de seu ocultamento.

Situação: em andamento; Equipe executora: Linha de pesquisa Marxismo e Educação; Coordenação da pesquisa: Profª Drª Noêmia Lipovetsky  

  • 2012

Tabus acerca da pena de morte educação, identificação, preconceito, ideologia e violência nas tramas da cultura

Descrição: De maneira emblemática, a idéia de tabu como elemento ideológico e que diz respeito a processos subjetivos de alienação, traz à tona vários elementos da ordem do funcionamento subjetivo, entre eles, o tema da pena de morte. Existem representações e crenças sobre a pena de morte que induzem uma mediação entre o ritual, sua prática, institucionalização e tabus em torno de idéias frequentemente veiculadas que asseguram ser a pena de morte uma maneira segura de evitar a violência. Nessas ideologias, como será abordado adiante, comparece fundamentalmente crenças e mitos, bem como idéias religiosas do senso comum ou elaborações racionais na forma do discurso oficial, legitimado legalmente. Desse modo, ressalta-se o objetivo da pesquisa: Pesquisar, à luz da teoria crítica frankfurteana, elementos culturais, formativos e ideológicos de dominação vinculados a mitos e tabus relacionados à violência, ao preconceito e à identificação com idéias referentes à defesa da pena de morte.. 
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa

  • 1999 - 2000

A influência do videogame na formação de crianças de 3ª a 4ª série- um estudo do jogo eletrônico como mediação cultural

Descrição: Esta pesquisa investigou a influência do jogo eletrônico na formação de 180 crianças na faixa etária entre 9 e 10 anos, distribuídas em 6 escolas da capital de Goiânia, sendo 3 públicas e 3 privadas. Os resultados apontaram para a necessidade de continuidade das pesquisas a medida que tornou-se importante analisar elementos de identificação da violência na relação das crianças com personagens e jogos, o que carecia de conceitos e elementos voltados para o estudo da subjetividade das crianças.

Integrantes: Luis César Sousa - Integrante / Silvia Rosa da Silva Zanolla - Coordenador.

  • 2004 - 2005

Indústria cultural e infância - um estudo com crianças de 1ª a 2ª séries do Ensino Fundamental sobre a identificação com a violência no universo do videogame.

Descrição: O objetivo dessa pesquisa foi avaliar, com base na pesquisa anterior, elementos constitutivos da identificação das crianças com jogos e personagens violentos do jogo eletrônico. Foi preciso diminuir a faixa etária das crianças investigadas devido a descoberta de que as crianças estão jogando cada vez mais cedo. No Relatório da pesquisa, foi possível identificar alguns valores e posturas adotados pelas crianças, no sentido de determinar a sua preferência pelos jogos - violentos ou não. Categorizados com base em documentos oficiais e em análises teóricas, esses jogos tem no comprometimento de seu conteúdo, problemas que influem na formação de conceitos e valores amorais, demonstrados pela análise do conteúdo das entrevistas, entretanto, o maior problema detectado foi o fato de descobrirmos que os pais não estão acompanhando as crianças na escolha dos jogos. Isso demonstra que esses jogos, assim como televisão, não diferem de outros mecanismos culturais de dominação, como por exemplo o cinema, e estão devidamente acomodados à esfera da reestruturação do sistema capitalista por meio da indústria cultural da infância.

Integrantes: Deize Teodora Marques - Integrante / Bruno Morais Batista - Integrante / Silvia Rosa da Silva Zanolla - Coordenador.

  • 2005 - 2007

Jogos eletrônicos e massificação infantil - uma análise da imposição e aceitação de valores culturais na infância à luz da teoria crítica

Descrição: Esta pesquisa propõe dar continuidade às pesquisas anteriores. À medida que tentamos descortinar as influências do jogo eletrônico na formação de crianças em idade escolar, fomos percebendo a importância de investigar a existência de uma indústria cultural especificamente voltada para as crianças. Isso fez com que o objeto se desdobrasse em uma outra investigação, a existência ou não de uma concepção de infância na teoria crítica de Adorno. Essas indagações/pesquisas, nos motivaram a continuar, em âmbito teórico, pesquisas que anteriormente se caracterizaram como empítrico-teóricas, mudanças que se refletiram também nas pesquisas dos alunos bolsistas do PIBIC

Integrantes: Bruno Morais Batista - Integrante / Aurélia Carneiro - Integrante / Silvia Rosa da Silva Zanolla - Coordenador.

  • 2007 - 2008

A pesquisa de Iniciação Científica (PIBIC) na área de Humanas da UFG - Um estudo da experiência e dos impactos sociais e culturais na formação do aluno pesquisador (2004-2006)

Descrição: Esse trabalho propôe analisar a experiencia científica dos alunos de iniciação científica (PIBIC) de 2004 a 2006 e os impactos sociais e culturais a partir dessa formação. O projeto apresenta como objetivo específico "refletir acerca das possibilidades formativas dos alunos pesquisadores da graduação da área de humanas". Seu referencial teórico se baseia na Teoria crítica de Adorno e Horkheimer, e partirá de categorias como psedoformação, pseudoatividade e práxis.

Integrantes: Silvia Rosa Silva Zanolla - Coordenador / Aurélia Carneiro Caetano - Integrante / Wellington Roriz de Oliveira Junior - Integrante.

  • 2008 - 2009

Psicologia educacional e educação - o crepúsculo da mediação entre aprendizagem e desenvolvimento

Descrição: Este projeto parte de estudo iniciado em 2008 cujo intuito foi refletir sobre a relação entre a psicologia educacional e a educação na interface com os processos de aprendizagem e desenvolvimento na infância à luz da teoria crítica da sociedade. Após a experiência , abriu-se um leque de indagações sobre o objeto, o que motivou a emergência de uma pesquisa que pudesse aprofundar e explorar a temática. Qualquer reflexão sobre desenvolvimento e aprendizagem, temas tratados pela psicologia educacional, parte primeiramente do sentido amplo de educação, abordagem que considera os aspectos sociais, culturais e filosóficos na constituição da idéia de infância. Esses princípios conferem à educação a responsabilidade de levar o sujeito à autonomia no sentido kantiano de romper com o estado de menoridade que impede uma formação humana sólida contra a violência e a ignorância, contra a barbárie social (ADORNO, 1993). Para abordar esse assunto, propõe-se aqui discutir os conceitos de infância e desenvolvimento a partir da psicologia educacional, tendo como aporte a teoria crítica da sociedade, sobretudo, de Theodor Adorno.

Integrantes: Silvia Rosa Silva Zanolla - Coordenador / Wellington Roriz de Oliveira Junior - Integrante.

Listar Todas Voltar